sábado, 14 de setembro de 2013

Brinco de brilhante

Ficou todo feliz ao receber o presente, mas logo em seguida o seu olhar já havia se transformado em névoa.
- Pôxa, é muito bonito! Mas como eu vou fazer para entregá-lo? Se eu disser que foi você quem deu, ela me mata e também não vai querer colocar na neném e eu quero que ela use.
- Diga então que foi você que comprou.
- Não posso, o certificado de garantia da joalheria já tem mais de um mês, ela vai desconfiar.
- Entrega sem o certificado,  não tem problema não. A pedras não têm garantia, só o ouro. 
- Eu posso dizer que foi sua irmã que deu? Fica mais fácil. 
- Diga então que foi a velha, ela não é sua dinda?
Ficou combinado assim. Marli não se importava que não soubessem que era ela que estava dando o presente. Ela só queria fazer um carinho para ele. Afinal, havia ficado a amizade entre eles. Pensava que um presentinho não era nada de mais.
Toda a sua família tinha sido convidada para o chá de bebê, menos ela. Teve que entregar o seu presente depois. Escolhera com cuidado, queria que fosse algo especial. Ele merecia. Comprou um brinquinho  e o entregou com um cartão: "...Desejo que o caminho de sua filha tenha muita luz e que traga brilho à sua vida" 
Tempos depois ele pergunta se a velha tinha sido avisada, porque "ela" (a patroa) ao receber o mimo poderia querer agradecer.
A princípio, quando conversavam sobre a bebê ele sempre falava sobre Liliane (a patroa). Depois começou a se referir a ela como "a mãe", e agora somente usava o pronome. André retirava a identidade dela, assim como a  presença de Marli em sua vida. Marli achava a situação muito estranha. O quê será que André havia falado sobre ela para que tivessem que manter  a amizade de tantos anos em segredo? Por que Marli não podia aparecer?
Pensava que a sua relação com André sempre fora baseada principalmente numa amizade sólida. Os desentendimentos, na maioria das vezes, eram por questões financeiras. André, por ser desapegado, sempre dizia que Marli só se preocupava com dinheiro, que o dinheiro vinha em primeiro lugar. Ela vivia falando em economizar e nunca gastava consigo mesma, somente em pagamento de contas e com ele. Nunca entraram em acordo sobre isso. No mais, sempre se apoiaram. 
Liliane não conhecia a velha, entretanto quando ligou para agradecê-la, conversou com uma intimidade  tamanha. Foram mais de dez minutos de papo: falou da espera da hora, das dores que estava sentindo e da emoção ao receber o brinco. Nunca vira coisa mais linda, um brinco de brilhante!
A velha, coitada, mantinha a conversa meio que constrangida. Nem sabia direito do que se tratava. Marli apenas a avisara de que talvez recebesse um telefonema agradecendo um presente, não entrara em detalhes. Nem tinha dado muita importância para isso. 
E agora vem essa novidade: o seu presente rendeu um convite para que sua velha mãe fosse convidada para dar o primeiro banho na filha de André. Quanta honra para uma desconhecida!
Liliane deve ter ficado muito "impressionada" com o brinco. A amizade de Marli ela não aceitava e o pai da criança nem podia frequentar o mesmo lugar em que ela estivesse. Mas a sua mãe daria o primeiro banho na filha deles...
Marli ficou enojada. Quanta mentira, quanta falsidade!
Mal sabiam eles que o brinco é de zircônia. 

6 comentários:

Mônica disse...

Fiquei feliz por ter visto minhas ultimas postagens.
E eu gostei demais desta.
Parece um conto !
com carinho MOnica

Célia Rangel disse...

Falsidades... Interesses... Jogo da vida para muitos!
[ ] Célia.

Catarina Andrade disse...

Muitas amizades são baseadas em interesses. Poucas são verdadeiras.

Mônica disse...

Voltei pra ler e achei mais interessante ainda o conto
com carinho Monica

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Vengo del Blog de EVANIR (aviagen) y me ha encantado Tu Mágico Espacio; por lo cual, si no te importa, me hago seguidor de tan bello Rincón.
¡¡¡Ah!!!Si puedes pásate por mi blog:
http://poesiayvivencias.blogspot.com.es/
Abrazos.

Mônica disse...

Voltar aqui é sempre muito bom!
Eu tambem estou atarefada e quase nao escrevo mais e nem comento muito.
Um grande abraço.
Mesmo sendo de Zigone os aneis brilham nas nossas vidas quando queremos o bem!
com carinho Monica