quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Minha opção


"As pessoas estão muito negativas, não há do que se discutir. É raro encontrarmos hoje pessoas que não estejam com “depressão” ou estejam satisfeitas com o que tem ou com o que são.  Há ainda as pessoas que estão de bem com a vida, contanto, estas são vistas de viés, como conformistas. Como se estar feliz e satisfeito fosse um pecado mortal para a humanidade. Como se estar feliz fosse alienação." 

Este é um pequeno trecho de uma postagem que eu li ontem no blog Escritos Lisérgicos do Christian. Não é a primeira vez que faço referência a ele, porque eu o acompanho diariamente e tenho aprendido muito. Ele me faz lembrar de quando eu era jovem e me posicionava sobre qualquer assunto, quando eu tinha mais garra e lutava pelo que eu acreditava. Mas o tempo vai nos ensinando a ser mais maleáveis e mais tolerantes. Não que ele seja inflexível ou intolerante, ao contrário. Ele possui o frescor da juventude, agregado a inteligência, coerência e lucidez nas suas argumentações. Eu lhe pedi licença para usar seu texto como mote para uma postagem e ele gentilmente autorizou. 
Hoje em dia, qualquer tristeza é depressão. As pessoas adoram dizer que estão deprimidas, como se isso fosse algo bom ou lhes desse algum status. Qualquer lugar que você vá o assunto sempre surge e eu fico impressionada como tanta gente 'tem conhecimento' e gosta de falar de remédio. Conhecem os princípios ativos, debatem sobre qual é o melhor e competem entre si - quem toma tarja preta vence. A banalização do uso de medicamentos me assusta e não sei aonde isso vai parar.  Parece até que pesquisam sobre a doença, porque a disputa de quem tem mais sintomas também é acirrada.
Desconheço quem realmente sofre de depressão e que faça um tratamento sério, gostar de falar e divulgar o seu diagnóstico. Falar de um mal real é muito doloroso e constrangedor.
Se você está com o pé quebrado, por exemplo, as pessoas se oferecem para te ajudar, perguntam, se preocupam, cedem o lugar. A doença da alma é invisível, incapacitante e às vezes também é imperceptível, porque você pode ser uma pessoa alegre e ter depressão. O fato de você sentir tristeza ou estar triste não significa depressão. 
Eu decidi ser feliz e batalho por isso, mas percebo que a felicidade incomoda. Estar bem comigo mesma, ter filhos realizados e amorosos também incomoda. As pessoas só têm curiosidade e mantêm o papo se você quiser dividir problemas. Aí a atenção é total. Fale de suas conquistas e realizações que o papo acaba em um instante. É claro que eu estou falando de conversas sociais e não entre amigos verdadeiros. O amigo verdadeiro torce por você e compartilha do seu sucesso. Um amigo social acha que você está esnobando ou inventando histórias para esconder algo grave que você não quer contar, nunca acredita que você está realmente feliz.
De uns tempos para cá eu tenho sido muito cobrada por esses amigos sociais. Acham um absurdo eu não querer trabalhar mais, em eu me contentar em levar a minha vida na simplicidade.
Eu trabalhei duro a vida inteira, como muitos e comecei cedo. Enquanto trabalhava eu sonhava em ter isso, ter aquilo e algo sempre mais. Mas no fundo, o meu maior sonho era ter uma casinha na praia, em algum lugar ainda não devastado, onde eu pudesse "plantar meus amigos, meus livros e nada mais." Por que então toda aquela corrida para TER, se hoje o que eu quero é o despojamento e a tranquilidade?
Moro numa capital linda, contornada pelo mar em toda a sua extensão. Não é a cidade onde eu nasci, mas é onde eu escolhi viver. Minha mãe tem uma casa numa praia que fica bem próxima, mas que ainda conserva as características de uma aldeia de pescadores. Eu só preciso dar doze passos do portão para pisar na areia da praia. É lá que eu me escondo para me achar.
Ouço repetidamente que eu abandonei a vida, que virei uma ermitã e como uma pessoa que era tão ativa se conforma com a vida que eu tenho agora. Ninguém entende que eu fiz uma opção pela paz, praia, sol, mar e sete labradores. Eu preferi SER.
Zé Rodrix na letra de 'Casa no campo'  diz: "...eu quero uma casa no campo onde eu possa ficar do tamanho da paz e tenha somente a certeza dos limites do corpo e nada mais..."  
Eu consegui  realizar esse sonho, vivo assim. E não me venha dizer que sou alienada.
Eu sou é feliz!!!

                 Casa no campo - Elis Regina 


8 comentários:

Christian V. Louis disse...

Bom dia. Eu também lhe acompanho diariamente e sabe como sou, só leio, acompanho e comento blogues que gosto e neste encontrei muita coerência, sinceridade e, acima de tudo, nenhuma arrogância, que é algo que anda imperando infelizmente nos últimos dias na blogosfera.
E sim, eu procuro ser flexível, contanto, por vezes, com certos comentários, é impossível ser flexível e tolerante, até pode-se tentar, mas há pessoas que parecem não possuir noção, a Síndrome de Jason que havia descrito uns posts atrás.
Acredito que estas são as mesmas pessoas que "se apaixonaram" pela depressão e, como todas que se apaixonam e acreditam que possuem a doença, creem que os depressivos devem ser de tal modo, devem ser azedos, mal humorados e críticos mesmo que suas críticas não tenham embasamento algum e o que escrevem em seus blogues não tenha sentido (para isto há até uma explicação, o excesso de tarja preta a um organismo que não o necessita) e aí cria-se o estigma e, quem realmente é portador da doença, que eu não acredito que seja toda esta estatística exposta, fica estigmatizado e isto é muito ruim.
Entendo perfeitamente o que quer dizer com este post, quando sofri minha entorse no tornozelo e as pessoas se ofereciam para ajudar, eu ficava muito constrangido, isto por ser um problema físico, visível e compreendido. Imagine quem realmente tem uma doença mental, deve lhes custar muito assumi-la publicamente, assumi-la sequer para seus familiares, mesmo que seja inevitável.
E eu não duvido nada que estas pessoas façam uma vasta pesquisa para o palco do teatro em que transformou suas vidas, pois deve ter percebido que elas precisam de platéia, não?
Penso que quem critica seu modo de vida, em verdade, deve desejá-lo. Qual ser humano não deseja tomar as próprias rédeas da vida e optar por não sofrer as pressões típicas do trabalho por mais que se goste dele e viver na praia, em paz?
A paz de espírito é o que todos buscam, infelizmente, alguns que acham "bonitinho" ser doente, estão buscando no lugar errado e estão ficando realmente doentes e atrevo-me a dizer ridículas. O caminho para a paz não é a Síndrome do coitadinho, definitivamente.

Por que você faz poema? disse...

Nem toda tristeza é depressão,
às vezes mero cansaço ou desalento.
Estar triste é caminhar nos trilhos da poesia.

Célia disse...

Ah! Como te entendo! Depois de 42 anos de trabalho com a educação, aposentei-me e dedico-me às minhas leituras, músicas e textos! Incrível como incomodamos! Comum é eu ouvir que ando sumida... que não me encontram mais, etc. Sou muito feliz assim: sendo na simplicidade e sabedoria da vida; uma vez que o "ter" - há muito apaguei do meus status humano... Tenho o suficientemente necessário. Basta! E, sou muito feliz assim! Abraço da Célia.

CEM PALAVRAS disse...

Christian,
Você me deixou SEM palavras...
muitos beijos

CEM PALAVRAS disse...

Herculano,
Sabe por que você faz poema? Porque você sabe onde se encontra a poesia. Você é sempre poeta.
muitos beijos

CEM PALAVRAS disse...

Célia,
Já percebi que temos histórias de vida parecidas, em alguns pontos. Você já me conhece, como eu também já te conheço um pouco. Os nossos escritos transmitem quem somos, mesmo quando não falamos de nós mesmas.
Eu te admiro muito, viu?
muitos beijos

✿ chica disse...

Trouxeste um texto lindo do blog amigo e continuaste muito bem com o tema.

Depressão parece estar na moda e é uma moda chata, que faz mal...

Não adiante ficar marcando passo na tristeza, eu no momento, mesmo com a doença do maridão noa enchendo a cabeça e preocupação, escolho ser feliz e passar felicidade pra ele, nunca deixando a peteca cair.


Opção, se certa ou não, a minha, a nossa! beijos,chica

marciagrega disse...

Meus parabéns por você resolver "ser"! Este deve ser o principal objetivo da nossa existência! O "ter" é muito bom, mas o "ser" é melhor ainda! Sendo você poderá ter e só tendo você nunca será!!!

Estou te seguindo e deixando meus links:
http://brasigrega.blogspot.com
http://marciagrega.blogspot.com
http://gregapoemas.blogspot.com