sábado, 22 de outubro de 2011

A carta


Foram muitas. Escritas em um caderno grosso, de capa dura e com folhas em espiral. Ele passava longo tempo a escrever. Nunca disse a ela o que escrevia e também nunca lhe entregou. Ela só ficou  sabendo da existência delas, quando um dia se encontraram e ela  relembrou e leu uma carta que trazia sempre guardada em sua bolsa. Foi a única que ele havia lhe entregado.

                                                                              
                                                                             C.

          Hoje eu sei que o que eu vivi até algum tempo atrás, na realidade eu não vivi. Morri um segundo antes do seu olhar cruzar com o meu, embalado por uma música da qual eu me esqueci. Naquele momento eu renasci.
          Seu sorriso, seu corpo, seu brilho me chamaram para você como um imã e eu não pude evitar e, lógico, eu não queria. Renasci com toda força para viver para você e com você o tempo inteiro.
         Às vezes penso:  - Será que eu sou o ideal para você? Mas na hora certa você sorri para mim de uma forma ímpar e aí eu tenho  a certeza de que você me ama tanto quanto eu a você 
e eu fico bem.
         Tenho consciência de que as coisas não estão do jeito que você quer e gostaria, é uma realidade que não podemos esquecer, mas saiba que eu estou aqui para o que der e vier, procurando te entender, da minha forma, com atitudes, gestos, ou mesmo calado, só te escutando. 
         Tenho paciência de sobra e sei que tempos melhores virão. Você nasceu para mim e eu para você e você não tem ideia do quanto eu te amo. Sou capaz de suportar tudo e qualquer coisa 
para te ver feliz. 
        Resolvi escrever para não deixar contido em mim esses pensamentos e sentimentos. Gosto de você exatamente do jeito que você é. Gosto  do seu cheiro, de pegar na sua mão, de ouvir a sua voz, de dormir do seu lado, de admirar você dormindo e de fazer amor com você. 
Gosto de tudo que vem de você.
        Tudo o que eu quero é te fazer feliz. Não quero que a filosofia invada o terreno do nosso amor. Quero sentir, sentir e sentir...Dar sem cobrar, porque me faz bem estar com você.
        Você, para mim, é a música perfeita. Aquela que eu não canso de tocar.
                                                                                                       
                                                                                                    A.

Ela não conseguiu terminar a leitura, as lágrimas não deixaram. Também não lhe pediu emprestado o caderno para que um dia lesse as outras tantas que ele disse que lhe escreveu. Nem mesmo ficou sabendo se ele ainda guardava esse caderno. Ficou tudo no ar. Ficou um vazio e uma vontade nela de começar a escrever...

6 comentários:

Bento Sales disse...

Oi, querida amiga!
Uma carta dessa todos gostariam de receber da pessoa amada.
Uma declaração de amor platônico como essa nos imbui de felicidade e alegria.
Você tem mesmo o dom poético.

Parabéns pelo talento!

A respeito do conto Dois amigos, você tem razão: é Cláudio mesmo. Foi erro de digitação que passou imperceptível por mim.
Obrigado por me alertar!
Isso é consequência da pressa virtual.
Fiquei contente por gostado da história.

Abraços do amigo de sempre!

Christian V. Louis disse...

"Você, para mim, é a música perfeita. Aquela que eu não canso de tocar."

Gostei imenso deste trecho, faz bastante sentido. Eu também acho interessante escrever cartas e esta sua parece ser uma história que terá continuação.
E quanto a resposta do desafio, eu entendi o que quis dizer, mas como lhe disse, eu acho preferível sermos assim, pois ficamos mais espertos. Penso que as pessoas mais ingênuas são as que mais sofrem com as maldades, pois estas, cedo ou tarde, sempre se revelam. E nós, estamos mais preparados, tanto para enfrentá-las quanto até para preveni-las.

Mônica disse...

Que bela carta. Escrita em um caderno?
Eu tenho um monte de cartas de 1890. Cartas de minhas tias avós. Milhares!
com amizade e carinho de Monica

Edu O. disse...

Uma vez escrevi cartas que nunca tiveram respostas, nem posts, nem blog.... uma vez amei assim e só veio saudade doída

Severa Cabral(escritora) disse...

Minha linda!
como vai vc?
como sempre vc chega com post tão reais ...no sentido de que temos algo para nos lembrar na vida que já passamos...
A carta nos faz lembrar tantos acontecimentos de nossa vida ...e quem não tem uma carta guardada de lembrança,kkkkkkkk,eu tenho varias...
bjs minha flor!

Sandra Botelho disse...

Poxa um amor altruista, maravilhoso, perfeito.
Uma carta assim faz verter lagrimas mesmo.
Linda demais.
Bjos achocolatados