terça-feira, 9 de agosto de 2011

Mãos dadas



Você nunca andou de mãos dadas comigo ..."  Essa foi a explicação que Tânia escutou. Foi tão simples e verdadeira que ela compreendeu tudo. Já não precisava questionar mais nada.

Tânia entendeu que por mais que se faça nunca é o bastante. Ao conhecê-lo e reconhecer nele um talento, começou a sonhar um sonho que era só dela. O desejo que ela tinha de que ele voasse alto fez com que ela agisse por ele e criasse expectativas em torno da carreira dele. Ela jogou para ele a responsabilidade de realizar o sonho dela - vê-lo brilhar. 
Só depois de ouvir aquela explicação que ela entendeu que não estiveram de mãos dadas. Tânia tinha atado as mãos dele para realizar um sonho dela. A liberdade passou a ser uma prisão.
Ele não era como Tânia. Ele preferia se resignar a tentar realizar os seus sonhos. Preferia viver imaginando o que poderia ser do que tentar sê-lo.
Quando ele 'travou' e as expectativas deixaram de se confirmar, começaram as cobranças. Tânia passou a controlar e esperar uma atitude para alcançar um resultado que não obteve. Ao sentir novamente suas asas presas, ele retomou o comportamento para o qual havia sido criado - a acomodação.
O relacionamento se deteriorou porque não havia mais compartilhamento, apenas compromissos.
Tânia errou ao deixar de se dedicar ao homem para apenas sonhar com o sucesso do músico, deixando de se comportar como sua  mulher para agir como sua empresária. Perdeu os dois.
O músico preferia se esconder atrás de um muro e viver obscurecido, para não se decepcionar.
O homem apenas queria passear de mãos dadas com sua amada... 

8 comentários:

Fernanda Iasi disse...

Simples assim... Mas até entender... Bjo querida!

CEM PALAVRAS disse...

Fernanda,
na maioria das vezes as coisas são simples, a gente é que complica, principalmente em matéria de relacionamento.
beijinhos

Eloah disse...

É, as vezes os sinais estão ai e não vemos.Colaborar é ótimo , mas tomar a vida do outro como sua é demais.Relacionar-se exige muita perspicácia, sutileza ,carinho, amor e sobretudo respeito.Esta história deu o que pensar e refletir.Foi ótimo.Parabéns amiga!
Boa noite e meu carinho especial.Eloah

Artes e escritas disse...

Sonho de um não se pode sonhar a dois. Um abraço, Yayá.

CEM PALAVRAS disse...

Eloah,
Pois é. Devagarinho foi se apossando da vida do outro e a tomou como meta.
Faltou respeito pelo espaço do outro.
Você tem razão: relacionar-se exige sutileza...(entre outras coisas)
Só se apercebeu disso quando já era tarde
Muitos e muitos beijos

CEM PALAVRAS disse...

Yayá,
Adoro seus comentários sucintos e certeiros.
beijos

HENRY disse...

Passei pelo seu cantinho,afim de retribuir sua visita no meu blog,gostei muito! algumas verdades do viver a vida. ninguem é de ninguem,mesmo quando se ama alguem...viver o presente de maos dadas numa praia qualquer,sentir o desfazer das ondas nos pés olhando o Sol no horizonte, entrar no Mar... sonhar a dois,lutar pra realizar. É das coisas mais belas,lindas deste mundo...

um forte abraço, deste portuga que ama tudo que me chega desse Pais lindo e maravilho!

CEM PALAVRAS disse...

Obrigada Henry, pela visita e comentário.
Que bom que você começou também a me seguir.
Não vamos nos perder.
beijos