sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A vida começa aos 40


Dizem que a vida começa aos quarenta. Não sei com vocês, os que já passaram dessa idade, mas comigo o dito foi verdadeiro.
Comecei a trabalhar muito jovem, nem sequer tinha terminado o segundo grau. Eu era compulsiva em atividades, estudava pela manhã, à tarde tinha aulas de inglês duas vezes por semana,  em outros dois dias eu estudava alemão e trabalhava à noite.
Aos 17 anos passei no vestibular na minha primeira tentativa,  parei com as aulas à tarde, mas continuei trabalhando. No ano seguinte prestei um segundo vestibular e consegui frequentar os dois cursos na mesma Universidade Federal. Naquela época eu acho que era mais difícil ter controle sobre isso, nada era informatizado, por isso consegui cursá-los simultaneamente. Como eu passava o dia inteiro no campus universitário e tinha aula também alguns dias à noite, continuei ganhando meu dinheirinho dando aulas particulares nas casas dos alunos.
Casei também cedo, tive logo em seguida os meus filhos e a minha vida virou uma batalha diária. É muito difícil conciliar casa, filhos, marido e trabalho. Eu não tinha tempo para nada.
Aos trinta e cinco, meus filhos já eram adolescentes, eu voltei a ser solteira e me tornei uma workaholic. Só pensava na carreira, em acumular funções no trabalho, em ser promovida e ganhar mais dinheiro.
Faltava exatamente um mês para os meus quarenta anos, quando fizeram uma brincadeira comigo dizendo que eu estava beirando os "enta" e que ao completá-los eu começaria a descer ladeira abaixo. Recebi a brincadeira como uma sentença de morte. Eu me sentia tão viva, tanto ainda por fazer... Como assim? Será que é porque a gente toma juízo e fica mais precavida? Não me conformei com a ideia. Se aquela era a idade do juízo, que eu sempre tive de sobra, estava na hora de perder um pouco o meu.
Espalhei logo a notícia. Me chamem para tudo, estou aceitando convites para festas, bares, boates, teatros, cinemas, viagens, pois quero muito aproveitar a vida enquanto tenho vitalidade. Decidi que iria diminuir o meu ritmo de trabalho e aumentar o da diversão e lazer.
O problema seria em casa, meus filhos não estavam acostumados a me verem sair. Eu aproveitava o meu tempo livre com eles, mas nem sempre o tempo livre deles era comigo, porque já estavam ganhando o mundo e eu queria ganhar o meu. 
Na primeira vez que fui sair ouvi um batalhão de perguntas: aonde vai, com quem, a que horas volta... Os papéis haviam se invertido. Coisas de "aborrescentes".
Precisava me safar dessa, então tive uma ideia. Eu tinha visto uma camiseta numa loja que resolveria o meu problema. Comprei-a, me arrumei toda e fui me despedir das "crionças", avisando que iria sair novamente. Quando começaram a inquisição, virei de costas, vesti a tal camiseta por cima da minha roupa e me voltei para eles. No peito da camiseta estava escrito: Hoje eu só volto amanhã.
Todos nós caímos na gargalhada e não me perguntaram mais nada. A partir desse dia eu comecei a cuidar de mim e a viver intensamente.

19 comentários:

Fernanda Iasi disse...

Se isso não for um texto com "pegada" eu não entendo mais nada. Bárbaro! Bjo!

✿ chica disse...

Genial a tua saída pra te livrar do controle,srsr beijos,chica

Bento Sales disse...

Querida, sua narrativa é a prova cabal de que deveras a vida começa aos quarenta anos.
A descrição de seu assoberbamento doméstico foi tão perfeita que quase cansei.

Eu acredito que somos capazes de renascer em qualquer fase da vida, basta crermos nisso.

Parabéns pelo blog, texto e pelo talento!

O lado positivo de uma tristeza é a solidariedade dos amigos.


Quero lhe agradecer sobremaneira pela visita, comentário inteligente e solidário no meu espaço.

Abraços do novo amigo!

Eloah disse...

É tem fases que queremos abraçar o mundo e ir lutando contra o tempo para ver quem ganha a corrida.Depois vem realmente a idade do juízo em que nos conscientizamos que o trabalho já nos deu muito trabalho, e que agora mesmo mais velhas está na hora de viver a vida em plenitude.Um dia acordei e disse para meus filhos: De hoje em diante me dou o direito de só fazer o que me dá prazer.Começou a minha luta particular, mas estou vencendo.O tempo de cumprir os deveres passou vamos viver a vida! Bjs querida e juizo (rsrsrs)Eloah

CEM PALAVRAS disse...

Fernanda e Chica,
É uma alegria ter você por aqui comentando, porque eu adoro o blog das duas e já estou viciada.
beijos e beijos

CEM PALAVRAS disse...

Bento,
Agradeço muito as suas palavras. É uma honra completar o 50º seguidor com você, que escreve com tanta sensibilidade.
Volte sempre, viu?
Muitos beijos

CEM PALAVRAS disse...

Eloah,
Você é fantástica!
Após o 40, ter juízo é justamente perdê-lo, né?
muitos beijos

Mônica disse...

Gostei de mais, cem palavras da sua história.
E gostei mais ainda de lembrar o nome do filme.
Vou ve-lo novamente.
Eu aposentei aos 50 anos, há dois anos atrás.
Mas a minha idade nunca me atrapalhou, pois sou muito caseira. Fiz ate terapia por não gostar de barsinho. Nem pareço mineira.
E continuo satisfeita com a vida que escolhi, principalmente agora que moro aqui com minha mãe.
com carinho Monica

HENRY disse...

Li o texto com muita atenção,
cheguei à conclusão que a Mulher que o escreveu,é! uma Mulher forte até na fraqueza,alegre na tristeza,feliz na saudade,capaz de superar até os momentos de dor,corajosa até na derrota... Não sei se reparou? Eu coloquei a palavra Mulher com M grande,é isso ai!!! M grande mesmo pra descrever essa mulher que existe em voce,as suas letrinhas transcrevem a beleza da sua alma...

desejo um otimo e feliz final de semana. E juizo tá rsrs

um abraço...

CEM PALAVRAS disse...

Minha amiga Moniquinha,
O importante nessa vida é ser feliz, da maneira que escolhemos viver. Não é mesmo?
Beijos carinhosos

CEM PALAVRAS disse...

Henry,
Obrigada. Você me emocionou com suas palavras.
beijos

Artes e escritas disse...

Cada idade tem o seu charme. Parabéns pelas motivações aos enta. Um abraço, Yayá.

CEM PALAVRAS disse...

Yayá,
A ideia é só contar histórias, pelo simples prazer de contá-las, sem nenhuma outra intenção. Se serviu de motivação, então UAU!!!
muitos beijos

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Ave, adorei isso. Tão leve, tão encantador..... vc é muito meiga mesmo.
Hoje, só volto amanhã...... seus filhos devem te adorar!

CEM PALAVRAS disse...

Wal,
Meiga?!? Eu?!?
Sou uma bomba relógio!!!
Ontem eu estava calminha...rsss
Beijos e mais beijos

Magia da Inês disse...

♪°º✿
˛♫ Olá, amiga!
Se você tem razão?!... deve ter.
Eu acho que a vida começa todo dia... quando acordamos... isso já é um milagre... que devemos aproveitar.
Bom fim de semana!
Cheio de alegria e muita paz.
Beijinhos.
Minas
º°✿
✿♥ ° ·.
˛✿♪

CEM PALAVRAS disse...

Inês,
Quando você chegar aos 'enta' você me conta, tá?
muitos beijos

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Mas eu comnheço muita bomba, inclusive atômicas, que são meigas.....viu! rsrssr

CEM PALAVRAS disse...

Você é um exemplo, rssss
Ou estou enganada, Dona Walkyria?